29/05/2008

Bienal de tipos

São Paulo, Bogotá, Buenos Aires, Lima, Montevidéu, Santiago do Chile e Vera Cruz realizam simultaneamente, de 31 de maio a 27 de junho, a Bienal de Tipos Latinos. A edição brasileira acontece no Centro Cultural São Paulo.

Direcionada para a pesquisa e produção de fontes digitais, a Bienal tem uma exposição, oficinas e palestras.

Caligrafia gótica e inglesa, Processos criativos em tipografia, Introdução à caligrafia e Projetando fontes dingbats são as oficinas programadas, com 20 vagas cada uma. As inscrições para as oficinas começam nesta sexta, 31.

As palestras serão realizadas em junho. Toda a programação realizada é gratuita. Datas e mais informações estão no site do Centro Cultural São Paulo.

Mara Gama às 19h49

28/05/2008

Prêmio IDEA brasileiro


A primeira edição brasileira do prêmio IDEA (International Design Excellence Award), criado nos Estados Unidos há 30 anos, apresenta os 53 vencedores na quinta, 29 de maio. Não há premiação em dinheiro e nem limite de prêmios por categoria.  Na foto abaixo, a luminária Bossa, de Fernando Prado, que concorre ao IDEA e já foi premiada pelo Museu da Casa Brasileira

Segundo a organização do prêmio, a cargo da ONG Objeto Brasil, houve 343 inscrições. Participam produtos lançados nos dois últimos anos. Uma comissão fez a primeria seleção dos projetos via Internet. Na segunda etapa, um júri composto por 18 pessoas escalou os 53 premiados do IDEA Brasil. 

Os 53 premiados foram automaticamente inscritos no IDEA internacional, cujo júri, reunido agora em maio nos Estados Unidos, premiou 12 produtos brasileiros. A edição internacional é realizada pela IDSA (Industrial Designers Society of America) e os vencedores só serão conhecidos no dia 18 de julho, em edição especial da BusinessWeek, que patrocina o concurso. Na foto abaixo, anel de Antonio Bernardo, que concorre ao IDEA Brasil. A categoria jóia é inovação da versão brasileira do prêmio.

As categorias do IDEA Brasil são: produtos comerciais e industriais, equipamentos de comunicação, equipamentos de informática, estratégia de design, ecodesign, equipamentos de som, jogos e entretenimento, ambientes, produtos para casa, design de interface, lazer e recreação, produtos médicos e científicos, produtos para escritório, embalagens, acessórios pessoais, estudantes, pesquisa, transportes e jóias. Na foto abaixo, o sistema desenvolvido pelo designer Guto Indio da Costa, que concorre ao IDEA Brasil.

Entre os critérios de seleção estão benefícios ao usuário (performance, conforto, segurança, facilidade de uso, interface com o usuário, ergonomia),  benefícios ao cliente (aumento de vendas, penetração no mercado, otimização de custos); benefícios à sociedade (importância do produto, viabilidade econômica, facilidade de fabricação); benefícios ao meio ambiente (uso responsável de materiais e processos durante a vida útil do produto, incluindo durabilidade dos materiais, sua toxicidade, geração e redução de resíduos, e aspectos como eficiência energética, reparos, reuso, reciclagem, sustentabilidade); além de hamronia formal.

Segundo Joice Joppert Leal, da ONG Objeto Brasil, a organização se supreendeu com o fato de a maior parte das inscrições ter sido feita pelas indústrias e não pelos designers. "Isso mostra maturidade e compreensão do papel do design pela indústria", diz Joice. 

A entrega será no Shopping Frei Caneca, em São Paulo, só para convidados, a partir das 19h desta quinta, 29.

De 30 de maio a 12 de junho os objetos/produtos finalistas ficarão expostos no mesmo shopping. Em seguida, serão expostos no Rio, em Curitiba e Brasília, e posteriormente a mostra viaja para Washington (EUA) e Phoenix (EUA).

Em 8 de julho, será lançada uma revista com os vencedores da edição brasileira, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

Mara Gama às 19h34

27/05/2008

Construtores anônimos


Textos do arquiteto e historiador Carlos Lemos, professor titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP e autor de diversos livros sobre a casa brasileira estão no volume "Moradas do Brasil", com fotos do fotógrafo goiano Rui Faquini.

O livro tem lançamento na quarta, 28 de maio, na Casa das Rosas, em São Paulo.

"Moradas do Brasil" traz acervo fotográfico acumulado por Faquini em três décadas de viagens pelo país. As imagens, organizadas e lidas por Lemos, mapeiam usos de materiais e técnicas construtivas. Em edição bilingue, o livro foi editado pela DBA e patrocinado pela incorporadora Agra.

 

Mara Gama às 19h43

Mesa de trabalho para casa


A Herman Miller apresentou o conceito e a linha Lifework Portfolio, com mesas e módulos de arquivo/armários, na última Feira Internacional de Mobiliário Contemporâneo, de Nova York, que acabou no último dia 20 de maio.

Conhecida pela difusão do mobiliário moderno nos anos 50, principalmente os trabalhos de Charles e Ray Eames e George Nelson, a Herman Miller convidou quatro casas de design - Kaiju Studios, Industrial Facility, Blu Dot e Korb+Korb - para criar um mobiliário especial para a soma de tarefas "de escritório" que hoje se desenvolvem em casa, como planejar gastos, fazer lição de casa, responder e-mails, jogar no computador.

O diretor da Herman Miller Marg Mojzak justifica o projeto: "A mesa de trabalho hoje não está mais confinada no escritório, está em qualquer local da casa e se tornou um lugar de mistura de tecnologias, cabos e documentos. 


Desenhada pelo estúdio Kaiju, a mesa e o gabinete "Airia" usam laminado com madeira. A mesa tem nicho para a fiação.

O estúdio londrino Industrial Facility é responsável pela mesa de duas superfícies de trabalho na "Enchord".


A norte-americana Blu Dot criou a "Cognita" e a suíça Korb + Korb, a "Sense", com ajustes ergonômicos e estrutura que pode ser ampliada.

A linha Lifework Portfolio reintroduziu também mobiliário de Geroge Nelson, um dos mais importantes designers do século 20 e que foi diretor de criação da Herman Miller. A escrivaninha de Nelson (na foto abaixo, à direita, em composição com uma mesa) prova a vitalidade de suas criações.

Nos Estados Unidos, os preços de toda a linha vão de U$ 350 a U$ 3.500.

Mara Gama às 15h33

26/05/2008

Cardume de luz


O cardume de papel e bambu do designer Lucas Isawa pode ser visto de 27 de maio a 28 de junho numa sala do Museu da Casa Brasileira, em São Paulo.

A mostra de luminárias “Um Novo Cardume” é parte das comemorações oficiais do Centenário da Imigração Japonesa.

Lucas Isawa se inspira no Koinobori, um ritual executado no dia 5 de maio, dia dos Meninos, no Japão. Neste dia, segundo tradição japonesa que data do século 17, as famílias com filhos homens devem colocar na área externa das casas carpas pintadas em tecido ou papel, hasteadas em mastros de bambu, para simbolizar força, persistência, bravura e sucesso. A tradição já é uma adaptação da tradição mais antiga, dos samurais, que exibiam armas e armaduras no mesmo dia.

Isawa construiu estruturas delicadas, leves e complexas de ripas de bambu recobertas por papel em formato de peixes. As luminárias mudam de posição conforme o vento e criam um interessante jogo de luz e sombra. O Museu fica av. Faria Lima, 2.705, (11 3032-3727). As fotos deste post são de Fabio Miyata.


Mara Gama às 20h46
Veja todos os posts
Perfil

Mara Gama é jornalista com especialização em design.

Perfil