28/07/2009

Design francês

Uma seleção de projetos com 150 itens entre mobiliário, objetos e ambientes criados pelo designer francês Patrick Jouin estará exposta de 29 de agosto a 27 de setembro no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, como parte das comemorações do Ano da França no Brasil.

 

 

 

A linha "Solid", iniciada em 2005, mobiliário de prototipagem rápida

 

 

 

 

Estação para bicicletas de Paris



Além das produções para as prestigiosas Artemide, Cassina, Kartell, Alesssi e Ligne Rosset, Jouin assina vários projetos de restaurantes do chefe francês Alain Ducasse: Plaza Athénée e o Jules Verne, em Paris, e o Mix, em Las Vegas, Estados Unidos. Com Ducasse, Jouin criou a panela "pasta pot saucepan", que estará na mostra. Mas os parisienses e os turistas que visitaram Paris nos últimos anos podem conhecê-lo pelo projeto das Vélib, as estações de bicicletas em que o usuário retira a sua e pode devolver em alguma das outras mais de mil estações pela cidade.


Um dos projetos high tech de Jouin é uma suíte para uma rede de hotéis, com sistemas inteligentes de aúdio e luz, que permitem a escolha de atmosferas - combinações de iluminação e sons, para estada e um sono melhor, de acordo com parâmetros indicados por especialistas.
 

O Tomie Ohtake vai expor também fotos dos trabalhos de arquitetos e paisagistas franceses premiados na edição 2007/2008 no projeto NAJAP (Novos Álbuns de Jovens Arquitetos e Paisagistas).


Patrick Jouin - de 29 de julho a 27 de setembro de 2009, com visitação de terça a domingo, das 11h às 20h e entrada franca.
Instituto Tomie Ohtake - av. Faria Lima, 201, Pinheiros, São Paulo.

Mara Gama às 19h44

26/07/2009

Políticas ecológicas

Por causa do fórum internacional de urbanismo, me lembrei de um artigo da "Monocle"  edição de julho e agosto. Como a revista é de restrita circulação, acho que ainda vale comentar.

Em sua 25 edição, a "Monocle" traz uma lista das top 25 cidades em qualidade de vida de 2009. É o terceiro ano que a revista faz a pequisa, usando critérios como transporte público, educação, ofertas culturais, taxa de criminalidade, horas de insolação e uma avaliação das opções e conexões de vôos internacionais.

Na reportagem de capa das 25 melhores cidades para se viver em 2009 os editores avisam que acrescentaram fatores como planos de melhorias urbanas em curso, facilidade de abertura de novos negócios e um índice de número de lojas internacionais. Segundo a reportagem, a mudança foi incentivada por que os editores receberam muitas mensagens de leitores da revista que estavam se mudando nâo apenas de emprego ou de profissão, mas de cidade e de modo de vida, como resultado direto ou indireto da crise financeira internacional.

A campeã das cidades segundo os critérios deste ano é Zurique, devido aos seus planos urbanísticos.  Na sequência, Copenhagem, Tóquio, Munique, Helsinque, Estocolmo, Viena, Paris, Melbourne, Berlim, Honolulu, Madri, Sydnei, Vancouver, Barcelona, Fukuoka, Oslo, Singapura, Montreal, Auckland,  Amsterdã, Kioto, Hamburgo, Genebra e Lisboa.

A “Monocle” é conhecida também pelos seus advertorials, ou informerciais, como se dizia por aqui. Ou seja, há muita pauta é motivada por

anúncio, o que mostra falta de independência editorial. No blog da agência de publicidade Raemp há uma lista de 10 exemplos de “cooperação” entre a área editorial e a área de publicidade. 

Feita esta ressalva sobre o veículo, publico aqui o que achei mais interessante e que imagino não sujeito aos interesses de anunciantes a ponto de comprometer a informação: dados sobre preocupação ambiental, políticas de transporte, controle e poluição e lixo.

Em Zurique, segundo a reportagem, o lixo doméstico caiu 40% desde que os moradores tiveram de pagar por saco de lixo produzido. 51% do lixo é reciclado. A estação de transportes central da cidade deverá receber 40%  passageiros a mais em 2015.

Em Copenhagem, mais de 35% dos moradores usa bicicleta para ir trabalhar ou estudar. Um novo anel de metrô deve estar pronto em 2018.

Em Tóquio, desde outubro de 2007 os ônibus municipais usam 5% de biodiesel na composição de seus combustível. Até 2016, o plano municipal é construir mais um quilômetro quadrado de área verde e plantar um milhão de árvores nas ruas.

Em Munique, há 1, 2 mil kilômetros de ciclovias. O aluguel de bicicletas custa 8 centavos por minuto, 9 euros por dia ou 36 euros por mês. 

Em Estocolmo, que será a capital verde da Europa em 2010, cerca de 85% da população vive a menos de 300 metros de uma área verde. O plano é ter instalados 100 pontos de recarga de energia para veículos elétricos até o ano que vem. O ano de 2008 registrou aumento de 28% no número de usuários de bike em relação a 2007.

Em Paris, até 2014, 200 mil metros quadrados de painéis solares devem ser instalados.

Mara Gama às 20h44

Fórum internacional de urbanismo em São Paulo


Nestas segunda e terça, 27 e 28 de julho, especialistas em urbanismo e arquitetura discutem em São Paulo projetos urbanos para as cidades contemporâneas.

Experiências e planos em países como Japão, Austrália, Coréia, Líbano e cidades como Barcelona, São Paulo, Helsinque, Estocolmo e Cidade do México entre

outras serão debatidas em vários encontros, no auditório da Prefeitura de São Paulo (no edifício Matarazzo, Viaduto do Chá, 15, 7º andar).

Na programação, segunda, 15h30, uma apresentação do projeto Nova Luz; as 17h uma mesa sobre projeto urbano e inclusão social com casos da índia, Cidade do

México, Marrocos e Brasil. Segue programação dos painéis e mesas:
 

27 Julho                             

15h30 Apresentação da cidade de São Paulo e Nova Luz

Debatedor: Miguel Bukalem (PMSP)

Mediadora: Nadia Somekh


17h  Mesa 1: Projeto Urbano e Inclusão Social

Experiências:

- Urbanismo na Índia por Balbir Verma

- Urbanismo na cidade do Mexico por Maurício Borrell

- Urbanismo em Marrocos por Firdaous Oussidhoum

- Experiência Brasileira por Demetre Anastasakis

Debatedor: Carlos Fernando Andrade

Mediadora: Liane Makowski

 

18h Caderno de Boas Praticas em Arquitetura

Dayse Gois

Carlos Murdock

 

28 Julho

9h00   Urbanismo Australiano

Debatedora: Louise Cox

Mediador: Miguel Pereira


10h  Mesa 2: Cidade Contemporânea e Projetos Urbanos

Experiências:

- A Cidade de Barcelona por Jordi Ferrando

- Urbanismo em Singapura por Goh Chong Chia

- Urbanismo no Japão por Kazuo Iwamura

- Urbanismo na Coréia por Jae Ho Shim

Debatedor: Mario Yoshinaga

Mediador: Victor Chinaglia

 
14h30 Mesa 3: Redesenhando  a Cidade

Experiências:

- Urbanismo no Líbano por Michel Barmaki

- Urbanismo em Curaçao por Ronny Lobo

- Plano Urbano de Kavala (Grécia) por Janna Mitsou

- Exemplos Urbanos: Freiburgo, Strasburgo, Helsinki, Estocolomo, por Albert Dubler

Debatedor: Pedro Taddei

Mediador: Ronald Tanimoto


17h A Experiência de São Paulo

Debatedor: Hector Vigliecca

Mediadora: Rosana Ferrari

Mara Gama às 13h19
Veja todos os posts
Perfil

Mara Gama é jornalista com especialização em design.

Perfil